Visita virtual à cidade do Porto em panoramas 360º
Rua dos Clérigos x Rua Conde Vizela
Panoramica 360º esférica na junção da Rua Conde Vizela com os Clérigos - Vista nocturna
Igreja dos Clérigos
Este conjunto arquitectonico foi construido entre 1732 e 1763, por iniciativa da irmandade dos Clérigos Pobres. A execução do projecto foi entregue ao arquitecto italiano Nicolau Nasoni. A fronteira da igreja é profusamente decorada com elementos do período barroco, e o interior foi enriquecido com talha. A torre, considerada uma das obras-primas de Nasoni pelas proporções harmoniosas e riqueza decorative, tornou-se um dos ex-libris do Porto.

The church and tower were built between 1732 and 1783 according to the plans of the Italian architect, Nicolau Nasoni. The church is remarkable for its monumental façade, highly decorated, and the interior which is richly ornamented with gilt carving. The tower, considered one of the Nasoni´s master pieces due to its harmonious proportions and decoration, has become Oporto´s most characteristic landmark.

A história da construção abrange um largo período (1732 a 1773). A igreja foi edicada entre 1732-1750, a enfermaria e a torre entre 1754-1763. Entre 1767-1773 procedeu-se à ampliação da capela-mar original. A execução do projecto foi entregue a Nicolau Nasoni, as obras ao mestre pedreiro António Pereira, depois ao mestre Miguel Francisco e por fim ao mestre ManueI António de Sousa. As obras da igreja foram bastante demoradas (com uma interrupção entre 1734 e 1745). Neste último ano, foi necessário proceder a uma vistoria dos alicerces da fachada, destruindo-se o que existia para se levantar de novo, com bases seguras. Por este facto, o templo estaria totalmente concluído somente em data próxima a 1750, muito embora a escadaria de acesso ao portal principal remonte aos anos de 1750-53/1754 (e posteriormente alterada em 1827).
Interior
O espaço interior é marcado pelo desenho elíptico da sua planta, que recorda modelos de arquitectura romana, como a igreja de Santa Maria in Campitelli, de Carlo Reinaldi, ou a igreja de Santiago de Valeta, em Malta. Uma abóbada dividida por arcos e decorada, no centro com um escudo de pedra elíptica (monograma AM, as chaves de S. Pedro e a mitra), cobre a nave. Até 1786 a iluminação fazia-se por um zimbório de ferro, que foi retirado por ter danificado a abóbada com o seu peso excessivo. A nave possui quatro altares e duas tribunas. Os arcos destas últimas têm belos frontões de pedra lavrada. Toda ela é decorada com talha barroca-rococó, incluindo os retábulos dos altares. No do S. S. Sacramento há uma tela de Joaquim Rafael. Aqui foi sepultado Nasoni, desconhecendo-se o local exacto. Na capela-mar o retábulo foi desenhado por Manuel dos Santos Porto em estilo rococó, sendo composto por mármores de quatro cores executado entre 1767 e 1780.Entre as colunas, vêem-se estátuas em jaspe, de S. Pedro e S. Paulo. Por baixo do trono, encontra-se uma uma de mármore com os ossos e o sangue de Santo Inocêncio Mártir, oferecida em 1752 pelo patriarca D. Tomáz de Almeida. o painel, com duas composições, foi pintado por Joaquim Rafael. Na parte superior representa-se a Assunção da Virgem e, na inferior, o seu túmulo. Foi restaurado em 1886 por Manuel Moura. A abóbada é decorada com mármores.