Embora or primórdios do movimento moderno na arquitectura tenha o seu inicio nos finais do séc. XIX (Ferro,vidro,betão armado), aqui o universo da arquitectura contemporânea estende-se a todo o período modernista desde as primeiras décadas do séc XX até aos dias de hoje.

A ideia inicial de 1959 de criar uma piscina aliementada pelas marés do oceano atlantico, foi abandonada por razões higiénicas e topográficas. O Engº Bernardo Ferrão tinha proposto uma piscina rectangular 20x33m paralela a uma parede de proteção. Dadas as implicações urbanísticas deste volume, decidem contratar um jovem arquitecto que estava a trabalhar num outro projecto de uma piscina na Quinta da Conceição (1958-65).Siza Vieira com 26 anos de idade nessa época, propõe um grande lago encaixado nas rochas. Tendo sido recusado pelo municipio, propõe então a adaptação da piscina rectangular à topografia das rochas locais. Bernardo Ferrão apresenta o projecto final em Março 1960, e dá-se inicio à sua construção, seguindo a ideia de Siza Vieira. Em 1963-64 constroi-se a segunda fase : Piscina de crianças, Vestiários, Rampa de acesso e um pequeno snack-bar .

Casa da Arquitectura - Centro de Documentação Siza Vieira (1960) Matosinhos

Edificio residencial do séc. XIX, pertenceu à família Siza Vieira entre 1949 e 2007, data em que foi adquirida pelo municipio. Foi restaurada em 1961 pelo arquitecto Alvaro Siza, e foi restruturada em 2008-2009 para receber as funções de Casa de Arquitectura e Centro de Documentação Alvaro Siza.

Arquitectura Contemporânea em panoramas 360º



Uma sala de concertos, projectada e construida entre 1999 e 2005, de autoria do arqº Rem Koolhaas. Um icon do Porto, baseado num anterior projecto de uma residencia para um cliente holandês, cuja ideia, era a de criar um espaço comum central, uma especie de tunel, de onde se pudessem ver todos os outros espaços circundantes. A intenção é a de tornar visivel as principais salas desde o exterior, dando vida ao edificio. Os amplos vãos envidraçados sem caixilharia criaram um problema para a empresa que os projectou. Graças ao vidro corrugado, esse problema foi superado, criando uma textura única que combina na perfeição com betão aparente de côr branca. O que inicialmente seria um problema para a acústica do auditório (uso de grandes vãos envidraçados), acabou sendo benéfico, pela forma ondulada que difunde a reverberação sonora.

Edificio da Vodafone 2006-2008 (Porto)
Um projecto de Barbosa & Guimarães, vencedor do concurso de ideias lançado pela Vodafone em 2006, cujo tema foi a ideia de movimento e vigor comercial da Vodafone.

Exteriores e interiores são formados por geometrias poliedricas, em betão branco identico ao da Casa da Musica. São 4 pisos escritórios acima do piso térreo (loja e cantina), e 3 pisos de parqueamento e serviços abaixo da terra.


Projecto de Siza Vieira, construido na década de 90. Um museu clássico com espaços diferenciados e bem defenidos, ligados por um percurso. Salienta-se a integração de um programa de grande área (12600 m2) num jardim histórico, localizado numa zona residencial da cidade.
Uma construção de vanguarda, para a época em que foi construida (1927-43), em estilo Art Deco, uma referencia deste estilo em Portugal. O conjunto da casa e jardins foi projectado por 4 arquitectos.Marques da Silva foi o arquitecto que integrou a participação dos 3 arquitectos franceses:

Charles Siclis (Fachadas exteriores)

Emile Ruhlmann (Interiores)

Jacques Greber (Jardins)

Piscina das Marés 1961-66 (Leça da Palmeira)